Levantou poeira

Em Luanda a poeira manda. Não é um ditado popular angolano, mas podia ser. O clima seco e a composição do terreno contribuem para que haja sempre uma fina nuvem de pó vermelho no ar, que entra em todo o lado, cobre todas as superfícies, entope narizes e aparelhos de ventilação.

Recordo que uma vez, num estacionamento de Luanda Sul, vi uma fila de jeeps Toyota importados, novinhos em folha… e todos da cor vermelha da poeira acumulada.

Quando a chuva cai, abundante, dá uma lavagem geral na cidade. As plantas recuperam temporariamente os seus tons verdes vivos, e a cidade parece, durante algum tempo, um pouco mais limpa, um pouco mais viva. Mas quando o sol regressa, inclemente como está hoje, a poeira reclama o seu domínio. E Luanda curva-se perante ela.

João Nunes

João Nunes é um autor, guionista e storyteller apaixonado por contar estórias e ajudar outras pessoas e marcas a contar as estórias delas. Divide o seu tempo entre Portugal, Brasil e Angola, tendo já escrito mais de 3500 páginas de guiões produzidos de longas metragens, telefilmes, séries de televisão e curtas.

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Shopping Cart
  • Your cart is empty.
Scroll to Top