Avançar para o conteúdo

Perguntas & Respostas: o que é o (CONT’D)?

    Estava a ler um guião e encontrei certas indicações, como “more” e “cont’d”. Consegui perceber que “cont’d” significa “continuação”. Porém não consegui entender de que forma, ou melhor, quando é que se devem usar essas indicações.  — Patrícia

    Patrícia, há dois tipos de “continuações”: as de cena e as de diálogos. Usam-se tradicionalmente quando uma cena continua para a página seguinte, e quando um diálogo mais extenso também cruza a barreira da página.

    É uma tradição mais presente nos guiões americanos, por isso usarei os termos tal como aparecem normalmente.

    No primeiro caso – cenas – coloca-se (CONTINUED) no fim da página, onde a cena se interrompe, e recomeça-se na página seguinte colocando CONTINUED:

    No segundo caso – diálogos – coloca-se (MORE) no fim da página, onde o diálogo se quebra, e escreve-se (CONT’D) no início da página seguinte, a seguir ao nome do personagem que fala.

    Este (CONT’D) a seguir ao nome do personagem também se usa quando um diálogo é interrompido por uma descrição de cena, a seguir à qual o personagem continua a falar.

    Ambos os casos são formas de indicar a um leitor muito distraído que a cena ou diálogo que está a ler não termina, ou começa, naquele ponto.

    Em português poderíamos usar (CONTINUA) e CONTINUAÇÃO:, no primeiro caso,  e (MAIS) e (CONTINUADO), no segundo.

    Programas de escrita de guião como o Final Draft ou o CeltX encarregam-se automaticamente de incluir essas indicações nos pontos certos, e retirá-las quando há repaginação e as quebras mudam de sítio. Permitem também usar traduções para a nossa língua, como indiquei acima.

    Contudo, a tendência atual é desativar essa opção do software e simplesmente não usar as referidas indicações: (MORE), (CONT’D), etc.

    Por duas razões, essencialmente: porque os leitores não são burros, e não precisam que lhes estejamos a recordar o óbvio; e porque essas indicações acrescentam linhas, podendo aumentar desnecessariamente o número de páginas de um guião.

    De qualquer forma, aqui ficam dois exemplos para que seja mais compreensível a sua utilização:

    Quebra de cena

    (...)

    Jaime desce as escadas a correr. Ao passar pelas janelas tenta não perder de vista os homens que carregam Mariana, no exterior do edifício.

    Quando passa por um extintor de incêndio Jaime abranda apenas o tempo suficiente para o arrancar da parede. Retoma novamente a descida, saltando os degraus de quatro em quatro.

    (CONTINUED)

    ---------/quebra de página/-------------------------------------------------------------------------

    CONTINUED:

    Jaime chega ao pequeno pátio no fundo das escadas e, praticamente sem perder balanço, arremessa o extintor contra a fechadura da porta, estilhaçando-a.

    Quebra de diálogo

    (...)

    Jaime abre uma garrafa de vinho e começa a servir dois copos.

    JAIME

    Pois a minha mãe dizia-me sempre a mesma coisa: se te mandarem parar, corre; se te mandarem correr, para; se te disserem que sim, diz-lhes que não; se te pedirem para ficar, parte.

    (MORE)

    ---------/quebra de página/-------------------------------------------------------------------------

    JAIME (CONT’D)

    A minha mãe, como podes ver, era do contra.

    Estende um dos copos a Mariana.

    JAIME (CONT’D)

    Agora percebes porque é que eu sou assim.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.