Avançar para o conteúdo

Grandes Diálogos: Pulp Fiction

    Em 1994, Quentin Tarantino irrompeu no grande palco mundial com Pulp Fiction e deixou uma marca que se prolonga até hoje. Não foi o seu primeiro filme, mas foi aquele que tornou o seu nome familiar junto da maior parte dos espectadores de cinema.

    Vencedor do Óscar de Melhor Argumento Original e da Palma de Ouro do Festival de Cannes, entre mais de 60 outros prémios internacionais, Pulp Fiction não foi apenas um filme querido dos críticos. Lembro-me que, no ano seguinte, houve um inquérito na agência de publicidade onde eu trabalhava, e ele ganhou distanciado na pergunta “Qual é o seu filme favorito?

    Uma das razões da sua imensa popularidade é o génio de Tarantino para escrever diálogos únicos e inesquecíveis, que combinam irrelevância, familiaridade, surpresa e irreverência em iguais doses, e são uma fonte de inspiração para os melhores atores (e para milhares de candidatos a guionistas, raras vezes com os mesmos resultados).

    O guião de Pulp Fiction, escrito por Tarantino a partir de estórias suas e do seu amigo Roger Avary, é tão rico nesses diálogos exuberantes que podia, sem esforço, ter escolhido uma dúzia deles.

    Fiquei-me pela famosa cena do “Royale with Cheese”, que vem logo a seguir aos créditos iniciais do filme. A tradução é minha, por isso recomendo que, se lerem inglês, o façam diretamente no original.

    Pulp Fiction

    Por Quentin Tarantino & Roger Avary

    INT. CHEVROLET DE 1974 (EM MOVIMENTO) -- MANHÃ

    Um velho, sujo e voraz Chevy Nova branco de 1974 ROLA por uma rua cheia de sem-abrigo em Hollywood. Nos bancos da frente seguem dois tipos novos – um branco, um negro – envergando fatos escuros baratos com gravatas pretas estreitas debaixo de gabardines verdes. Os seus nomes são VINCENT VEGA (o branco) e JULES WINNFIELD (o negro). É Jules quem conduz.

    JULES

    -- OK vá, conta lá acerca dos bares de haxixe?

    VINCENT

    O que é que queres tanto saber?

    JULES

    Então, o haxe é legal lá, certo?

    VINCENT

    Yah, é legal, mas não é cem por cento legal. Quero dizer, não podes entrar num restaurante, enrolar um charro e desatar a fumar ali mesmo. Só podes fumar em casa ou em alguns locais autorizados.

    JULES

    E esses são os bares de haxixe?

    VINCENT

    Yah, funciona assim: é legal comprar, é legal possuir e, se fores proprietário de um bar de haxixe, é legal vender. E é legal transportar, o que realmente não adianta muito porque – ouve bem isto – se os polícias te pararem, é ilegal revistar-te. Revistar-te é um direito que os polícias em Amesterdão não têm.

    JULES

    Essa é que é essa, caralho – é para lá que eu vou, ’tá decidido.

    VINCENT

    Ias curtir demais. Mas sabes qual é a coisa mais engraçada acerca da Europa?

    JULES

    O quê?

    VINCENT

    São as pequenas diferenças. A maior parte das merdas que temos aqui, eles têm lá, mas são sempre um pouco diferentes.

    JULES

    Exemplos?

    VINCENT

    Então, em Amesterdão podes comprar cerveja no cinema. E não estou a falar em copos de papel. Dão-te um copo de cerveja. E em Paris, podes comprar cerveja no MacDonald’s. E mais, sabes como é que chamam ao “Quarto de Libra com Queijo” em Paris?

    JULES

    Não lhe chamam “Quarto de Libra com Queijo”?

    VINCENT

    Não, eles lá usam o sistema métrico, não iam saber que porra é um “Quarto de Libra”.

    JULES

    O que é que lhe chamam?

    VINCENT

    Royale com Queijo

    JULES

    (repetindo)

    Royale com Queijo. O que é que chamam ao Big Mac?

    VINCENT

    Big Mac é Big Mac, mas eles chamam-lhe Le Big Mac.

    JULES

    Le Big Mac. O que é que chamam a um Whooper?

    VINCENT

    Não sei, não fui ao Burger King. Mas sabes o que é que põem nas batatas fritas na Holanda em vez do ketchup?

    JULES

    O quê?

    VINCENT

    Maionese.

    JULES

    Raios!

    VINCENT

    Eu vi-os fazer isso. E não é um bocadinho na borda do prato, eles afogam-nas naquela porra.

    JULES

    Uuccch!

    CORTA PARA:

    INT. CHEVY (BAGAGEIRA) -- MANHÃ

    O porta-bagagens do Chevy ABRE-SE, Jules e Vincent debruçam-se e retiram do interior pistolas automáticas .45, carregando-as e armando-as.

    JULES

    Devíamos ter caçadeiras para este tipo de cenas.

    VINCENT

    Quantos estão lá em cima?

    JULES

    Três ou quatro.

    VINCENT

    Contando com o nosso gajo?

    JULES

    Não tenho a certeza.

    VINCENT

    Quer dizer que podem lá estar cinco gajos?

    JULES

    É possível.

    VINCENT

    Devíamos ter a porra dumas caçadeiras.

    Fecham a bagageira.

    CORTA PARA:

    Leia aqui o guião completo.

    Leia aqui outros guiões de Quentin Tarantino.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.