Grandes Diálogos: Miss Lady Hawk Herself 

Mare of Easttown foi a melhor série de televisão que vi no ano passado, e isto não é dizer pouco. A televisão está a atravessar um novo período de ouro, onde não faltam séries televisivas de grande qualidade, em todos os géneros e para todos os públicos.

 Além da interpretação fenomenal de Kate Winslet no papel de Mare Sheehan, uma problemática e perturbada detective a contas com dois casos complicados numa pequena cidade de interior; de um elenco extraordinário e unanimemente aplaudido; de uma realização e fotografia praticamente perfeitas; Mare of Easttown é, antes de tudo o mais, um verdadeiro portento de escrita.

Os guiões dos sete episódios, todos da autoria do guionista e criador da série Brad Ingelsby, são notáveis sob qualquer ponto de vista: caracterização, enredo, estrutura, ritmo, diálogos, é tudo tão bom que é impossível destacar um aspecto sem ser injusto com os restantes.

O episódio piloto, Miss Lady Hawk Herself, é leitura obrigatória e objecto de estudo para quem quiser aprender a escrever para a televisão do século XXI.

Leia e aprecie a sensacional cena que escolhi para hoje (tradução minha), e veja como a personalidade de cada personagem é revelada pelas suas ações e reações, manifestadas através de um diálogo simples mas perfeitamente ajustado.

INT. ESCOLA SECUNDÁRIA DE EASTTOWN HIGH SCHOOL – GINÁSIO – PAVILHÃO/TÚNEL

Uma a uma, as senhoras são chamadas ao centro do pavilhão e presenteadas com placas comemorativas.

NO TÚNEL

Mare espera a sua vez ao lado de Lori. Vira-se e vê no fim da fila -- DAWN BAILEY, a mãe da jovem desaparecida que vimos antes na conferência de imprensa e antiga colega de equipa de Mare. A vida para Dawn tem sido uma cadeia contínua de dificuldades – parceiros abusivos, um cancro teimoso, e a última e pior calamidade de todas, uma filha desaparecida.

Lori dá uma olhadela a Mare. Sabe no que ela está a pensar --

LORI

Aqui não, Mare. Se queres falar com ela --

Mas Mare já está em movimento. Lori segue-a, chegando quando Mare confronta Dawn --

MARE

Vi-te na TV hoje de manhã, Dawn.

Dawn reconhece a chegada de Mare com o olhar, mas não diz uma palavra. Não quer uma luta. Não aqui, não agora.

MARE(CONT’D)

Se achas que não estou a fazer o meu trabalho, gostava que tivesses vindo primeiro falar comigo.

LORI

Mare. Vá lá. Não podemos só --

DAWN BAILEY^

Isto não é acerca de ti, Mare --

DAWN BAILEY(CONT’D)

É acerca de encontrar a minha filha.

MARE^

Eu sei. Mas estou a fazer o meu trabalho, Dawn.

LORI

Vá lá, Mare. Fazemos isto noutra altura.

MARE(CONT’D)^

Tu sabes que estou a fazer o meu trabalho.

DAWN BAILEY

Tira-a de cima de mim, Lor --

LORI

Vá lá, Mare. Deixa isto para outra altura.

MARE^

E não ajuda nada quando tu vais para a TV uma vez e outra e --

MARE (CONT’D)

-- dizes a toda a gente na porra da cidade inteira que eu estou a foder tudo.

DAWN BAILEY

Não é acerca de ti, Mare. Nem tudo é. Lor, por favor tira-a daqui --

DIRETOR DESPORTIVO(O.C.)

Lori Ross.

MARE

Tu sabes como eu tenho trabalhado no duro para encontrar a Katie.

Dawn fica em silêncio. Não reconhece os seus ersforços. Lori gesticula para Mare: pára com essas merdas. Mare ignora-a --

MARE (CONT’D)

Durante seis meses, tu e eu sentámo-nos todas as segundas-feiras para rever todos e mais alguns que conheceram a Katie.

DIRETOR DESPORTIVO (O.C.)

Lori Ross, estás aí atrás?

Lori suspira, abandona o túnel com relutância.

MARE

Andei a bater à porta de todas as casas de droga de West Chester a Kensington. Já pra não falar das pistas que segui. Centenas. Trouxe a equipa de mergulho do condado --

MARE (CONT’D)

-- para revirar o fundo do Schuylkill. Duas vezes.

DAWN^

Não é acerca de ti, Mare. Quantas vezes tenho de repetir.

DIRETOR DESPORTIVO (O.C.)

Dawn Bailey!

Dawn roça no ombro de Mare e sai do túnel. Mare vê-a ir, frustrada. Uma longa pausa, depois --

DIRETOR DESPORTIVO (O.C.) (CONT’D)

E finalmente, a Miss Lady Hawk em Pessoa -- Mare Sheehan!

Mare aguarda um momento, deixando a sua raiva esvair-se. Finalmente, SEGUIMO-LA ENQUANTO SAI DO TÚNEL e entra no pavilhão, onde a sua frustração finalmente sucumbe a um grande sorriso de satisfação. Os APLAUSOS são mais fortes para Mare. É sempre assim. E, tal como Siobhan previu, Mare gosta da adulação. Numa vida tão parca em vitórias, esta é uma em que ela pode confiar.

Nota: Infelizmente, o plugin que uso para simular o formato de guião no site não me permite mostrar diálogos paralelos.

Neste caso perde-se muito, porque a forma como o autor os utiliza nesta cena para mostrar a dinâmica própria de uma discussão é magistral. Recomendo por isso a sua leitura no guião original, onde está na página 47. Os momentos em diálogo paralelo estão, no texto acima, indicados com um sinal ^.

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Shopping Cart
  • Your cart is empty.
Scroll to Top