A Mosquita Fobada

No ano passado tive o prazer de contribuir com a estória e texto para um pequeno filme educativo de animação, com o objetivo de promover a prevenção e combate à malária em Angola, “A Mosquita Fobada”.

Para quem não está familiarizado com o português de Angola, “mosquita fobada” quer dizer “mosquita esfomeada”, e o filme conta a estória de uma mosquita que quer sangue, sangue, sangue… mas enfrenta inúmeros obstáculos para o conseguir.

Produzido pela 9Films do meu querido amigo Cláudio Chocolate, que também realizou, e com ilustrações da talentosa Danuta Wojciechowska, o filme foi apoiado pelo Instituto Goethe de Angola.

A animação esteve a cargo do Adilson dos Santos e a música, sensacional, foi composta e interpretada pela dupla Lee Lauren & Neusa Bernardo.

“A Mosquita Fobada” é um filminho simples e leve, destinado aos mais novos, mas penso que a abordagem que escolhemos, usando a mosquita como protagonista, deu um resultado muito original e eficaz.

O filme tem sido exibido em sessões com turmas escolares e, tanto quanto me disseram, tem sido um sucesso junto das crianças.

Mas, mais do que sucesso e elogios, espero que tenha contribuído para ensinar os candengues (miúdos) que o viram a tomar algumas medidas para evitar os ataques das “mosquitas fobadas” que tanto mal lhes podem fazer.

A MOSQUITA FOBADA.mp4 from 9FILMS on Vimeo.

You are currently viewing A Mosquita Fobada

Este Artigo Tem Um Comentário

  1. José Alfredo Neto

    Muito bom. Espero que tenha, para além de resultados a curto e médio prazo, a melhor forma de sucesso e elogios possível: que seja lembrado daqui a uns tempos, quando esses candengues já forem cotas, como a Família Prudêncio.
    Saúde e mais bom trabalho desse!

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

João Nunes

João Nunes é um autor, guionista e storyteller que gosta de ajudar os outros a contar as suas próprias estórias. Divide o seu tempo entre Angola, Brasil e Portugal e já escreveu mais de 3500 páginas de guiões produzidos de curtas e longas metragens, telefilmes e séries de televisão.