Memórias Revolucionárias

Todos os dias, a caminho da agência, contorno o Hospital Militar. As suas paredes estão cobertas com pinturas murais do tempo da independência. Frases como “Alfabetizar é um dever revolucionário” e imagens do presidente Agostinho Neto de ameaíadora catana erguida no ar recordam-nos que Angola saí­u há relativamente pouco tempo de um regime marxista-leninista. Amigos …

Memórias Revolucionárias Leia Mais »

Vou Ser Tio

Hoje tinha na minha caixa de email uma das melhores notí­cias de sempre: o meu irmão Ruca vai ser pai pela primeira vez (o que significa que eu vou ser tio pela segunda). Fiquei feliz para além de todas as expectativas; talvez pelo inesperado da notí­cia; talvez por ser o meu irmão mais novo; talvez …

Vou Ser Tio Leia Mais »

Festa em Luanda

Nunca pensei que houvesse tantos benfiquistas em Luanda. São 22:30, o SLB já é campeão 2004/2005 há uma hora e as ruas ainda estão cheias de carros, de motas, de gente apeada correndo de um lado para o outro com os seus cachecóis, as suas bandeiras, as suas camisolas do glorioso.

Equador 2

Uma pequena citaíão do livro de Miguel Sousa Tavares:E era tudo: a Pátria, o seu mundo, toda a sua vida, foram ficando lentamente para trás, enquanto o Zaire se afastava do cais, na Doca da Fundiíão, manobrando para evitar as areias do Bugio, e Lisboa se ia reduzindo a um ponto cada vez mais insignificante no horizonte…. Uma brisa fria do mar de largo provocou-lhe um súbito arrepio e recolheu-se ao camarote, onde o esperava uma bateria completa dos jornais da manhã.

Equador

O tal livro que toda a gente comenta que daria um grandioso filme épico português, ou uma excelente mini-série ao jeito das saudosas “jóias da coroa” da BBC, houvesse no nosso paí­s dinheiro e know-how para o adaptar.Dinheiro, é improvável que cheguemos lá com um mí­nimo de dignidade; a amplitude da história, a diversidade geográfica – Lisboa no iní­cio do século XX, a S. Tomé colonial do cacau e do café, a índia exótica da rainha Vitória – e a sua complexidade temática, histórica e polí­tica, não se compadecem com adaptaíões â€œí  la moita flores”.

Marburg de novo

As últimas notí­cias no site da Nexus:MARBURG ESTí EM DECLíNIO17/05/2005A epidemia de febre hemorrágica provocada pelo ví­rus de Marburg está praticamente controlada, já que está confinada ao municí­pio sede da proví­ncia do Uí­je.A Dra.Filomena Wilson faz aquí­ o balanío das últimas 24 horas em que foram registados três óbitos “Houve o registo de três óbitos, mas destes óbitos só um caso foi confirmado como de Marburg, os outros dois tratavam-se de outras doenías. Estão em seguimento por contactos 172 pessoas, estou a falar apenas do municí­pio do Uí­je, porque o total da proví­ncia do Uí­je até ontem, temos casos suspeitos 205, casos confirmados 221, óbitos 282 e estão a ser acompanhadas 205 pessoas que tiveram contacto com doentes infectados”.Nas restantes proví­ncias do Paí­s não se registou nenhum caso segundo a Dra.Filomena Wilson, que esteve a trabalhar durante quinze dias com as comunidades na proví­ncia do Uí­je , onde pôde constatar que ainda existem casos de doentes que falecem em casa, sem chegarem ao hospital.Os jornais que já tive oportunidade de folhear também parecem partilhar desta opinião.

Jeep

Ganhei um Toyota Rav4 para as minhas deslocaíões aqui em Angola. É azul petróleo, três portas, motor 2.2 a gasolina. Tem duplo tecto de abrir, rádio com leitor de cd’s e um pinheirinho de cartão aromático pendurado no espelho retrovisor. O que é que um homem pode querer mais de um carro?

Frigorí­fico

Enquanto estive fora fizeram algumas obras no apartamento: umas pinturas nas paredes, revisão dos ares condicionados e do gerador, limpeza do tanque da água e instalaíão de um exaustor e de uma máquina de lavar roupa novas…. E como o egoí­smo é muito feio, recebi o castigo merecido: esqueci-me da chave em Portugal e tive de passar a primeira noite cheio de sede, pois nem sequer tinha fósforos para ferver a água da torneira.

Luanda de novo

Um voo óptimo, por sinal; comida nem melhor nem pior do que a da TAP ou Varig (para falar das que conheío melhor); pessoal de cabina simpático e eficiente quanto baste;nada de turbulências nem agitaíões; uma descida suave e uma aterragem perfeita. A única desvantagem, a meu ver, é que a aeronave – um Boeing 747 – não tinha programaíão de bordo; nem música nem filmes.O melhor, contudo, ainda estava para vir.

Preparativos

Estas semanas em Portugal – quatro – passaram num ápice; entre a famí­lia, os amigos, a casa e alguns trabalhos que tinham ficado pendurados, os dias atropelaram-se e agora, subitamente, dou comigo a pensar de novo em fazer as malas…. Pode ser que em Agosto, quando voltar cá, tenha tempo para dar um passeio por essas bandas.

Shopping Cart
  • Your cart is empty.
Scroll to Top