Qual o valor dos guiões?

Por coincidência, um artigo que escrevi ontem e uma pergunta a que respondi logo a seguir abordavam um assunto que raramente tenho tocado aqui no site: a remuneração dos guiões de cinema e televisão.

Há cerca de dois anos a anterior direcção da Associação Portuguesa de Argumentistas e Dramaturgos desenvolveu um estudo sobre quais as tabelas mínimas a aplicar no pagamento de guiões de televisão e cinema, e de peças de teatro, no mercado português. O documento que daí resultou foi colocado à discussão dos visitantes do site da APAD – associados e outros – e mais tarde dado a conhecer ao público e aos media.

Como esse documento já não está disponível no site[1] resolvi colocá-lo aqui para consulta.

Algumas notas relativas aos valores referidos:

  1. Os valores indicados são os mínimos aceitáveis. Um guionista mais experiente, uma estória mais especial e invulgar, um projecto mais atractivo, devem merecer remuneração superior aos aqui indicados.
  2. De igual forma, o valor de referência para os guiões de cinema deve ser 1,5% do orçamento estimado do filme. Os 10.000 euros de que se fala na tabela são o mínimo, e correspondem mais ou menos a um filme de 700.000 euros; a filmes de maior orçamento devem corresponder valores de guião mais elevados.
  3. A tabela indicada não cobre outros tipos de remunerações – pelos usos do filme noutros mercados, em venda directa, tv e cabo, etc. Noutros países mais avançados os contratos prevêem valores adicionais para isso; em Portugal ainda não é a norma, mas estamos a trabalhar nesse sentido.
  4. Finalmente, os montantes pagos referem-se à cedência dos direitos patrimoniais do guião, ou seja, o direito à sua exploração comercial. Os direitos morais de autor não estão aqui abrangidos, nem poderiam estar, pois a nossa legislação não permite a sua cedência.

Volto a referir – estas são as tabelas mínimas. Compete-nos a nós, guionistas, lutar em cada contrato para subir a fasquia.

Notas de Rodapé

  1. Mas vai voltar a estar, em versão mais completa e actualizada. É um dos objectivos da actual direcção da APAD.[]

Este Artigo Tem 13 Comentários

  1. António Camacho

    Venho por esse meio perguntar a quem me souber ajudar de que forma é que eu posso vender um guião de um filme original feito por mim. Não sou formado nessa área (guinismo, mas tenho uma paixão enorme por filmes, principalmente policiais, e já tenho alguns escritos, mas não sei como fazer para os levar, por exemplo, a algum concurso. Tenho 20 anos e o meu grande seonho seria enveredar pelo mundo do cinema, nomeadamente como guinista! Gostaria que, se possível, me dessem contactos para os quais podesse levar os meus guiões a concurso, por exemplo!

  2. António Camacho

    E se fosse possível, me dessem essas indicações por e-mail! Agradeço desde já qualquer disponibilidade em ajuda! Obrigado!

  3. jorge arada

    A APAD tem duas listas de páginas web com milhares de contactos onde se pode “arranjar ” uma agéncia e onde também há concuros da especialidade.
    Vejam também a pag.www.filmmakers.com

  4. Paulo Patrício

    Por favor, gostaria de poder saber mais sobre apoios para escrita de guiões para estorias em africa, e quais as contrapartidas aos mesmos…

  5. jorge arada

    Olá António Camacho

    Neste blog há algumas págs: web que coloquei para consulta, no entanto sugiro que vejas esta:www.afilmwriter.com
    Nasegcção de attorney and agency há uma empresa de Management :Arist International, vê se te safas com eles.Boa sorte.

  6. Ola pessoal, os website aqui colocados não oferecem muita informações dos mercados de cinema portugues, o que acho que é o que o Antonio Camacho anda a procura e eu também. Eu sou guionista, productor e realizo curtas metragens para pequenos projectos, mais sou bom mesmo em escrever guiões, tenho nesse momento escrito dois filmes drama e acção, mais o que adoro mesmo é escrever por encomendas. Se alguem estiver interessado ou saíba onde encontrar mercado do cinema portugues online por favor comunica.

  7. Sandra

    ola Joao Nunes
    tou a escrever-lhe porque precisava de saber para um trabalho escolar quanto ganha um guionista por dia. podia dar-me essa informaçao? obrigado
    beijos

    1. João Nunes

      Em Portugal os guionistas não são remunerados dessa forma diária. O normal é serem freelancers e receberem por cada guião escrito, consoante o tipo de guião. Quando trabalham como empregados em empresas de escrita para tv podem ser remunerados mensalmente.
      Se quiser saber mais, já escrevi sobre este tema neste artigo: https://joaonunes.com/2007/guionismo/qual-o-valor-dos-guioes/

  8. Lisandra Dilon

    Quanto custa um roteiro actualmente?

    1. João Nunes

      Depende muito, de muitos fatores: em primeiro lugar, em que país/mercado estamos? Nos EUA será um valor, em Portugal, Brasil ou Angola, outros muito diferentes.
      Em segundo lugar, é um roteiro para uma curta, para uma longa metragem, para um episódio de televisão, etc?
      Em terceiro, é uma encomenda, uma adaptação ou uma obra original?
      Em quarto, qual o interesse que ele desperta nos compradores?
      E, finalmente, qual o nível de experiência do argumentista?
      Tudo isto irá influenciar o custo do guião.
      De qualquer forma, pode ter uma ideia de valores mínimos recomendados no Brasil, no site da ABRA – Preços e Créditos
      Em Portugal, a APAD – Associação Portuguesa de Argumentistas e Dramaturgos está a trabalhar num documento semelhante, com os valores recomendados para o mercado português.

  9. Catarina Novais

    Olá, João! Antes de mais parabéns pelo site, é fantástico.
    Sou uma apaixonada por cinema e queria investir nessa profissão. Aconselha algum curso para Guionismo, de preferência online e/ou no Porto?
    Qual a melhor forma de conseguir trabalhar na área?

    Muito obrigada. Continue o bom trabalho!

    1. João Nunes

      Viva Catarina, desculpe a demora a responder. Começando pela segunda questão: torne-se a melhor guionista possível, estudando, lendo e escrevendo muito. Escreva para si, mas pensando na possibilidade de interessar a outros. Faça contactos dentro da indústria. Concorra a concursos e consultas. Envie os seus guiões a produtoras e aos contactos que fez. E esteja atenta às oportunidades que, com um pouco de sorte, hão de surgir. Quanto à primeira questão: quando tenho conhecimento de workshops, presenciais ou online, vou divulgando no blogue. Neste momento eu próprio estou a dar um online. Se surgir outra oportunidade, voltarei a anunciar.

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

João Nunes

João Nunes é um autor, guionista e storyteller que gosta de ajudar os outros a contar as suas próprias estórias. Divide o seu tempo entre Angola, Brasil e Portugal e já escreveu mais de 3500 páginas de guiões produzidos de curtas e longas metragens, telefilmes e séries de televisão.